Sobre

Aline é do interior de Minas e apaixonada por crianças. É considerada a principal especialista da fotografia infantil nas escolas. Suas redes sociais somam mais de 100 mil fãs entusiastas de fotografia e as publicações alcançam mais de 1 milhão de pessoas mensalmente.

Seu trabalho é focado em retratar o verdadeiro espírito infantil através de um mundo repleto de fantasias. Nas suas fotos a realidade se mistura aos sonhos e o encanto gerado acaba se transformando em arte. Os pais e diretoras se derretem.

Outra paixão dessa mineira é a vida no campo… Mas também… quem não gosta de saborear um delicioso pão de queijo quentinho?

Aline em passeio a cavalo

Quando não se encontra fotografando ou viajando pelas pousadas do interior, está conectada ao Facebook trocando experiências com seus seguidores.

Quando tudo começou…

Durante muitos anos, ainda enquanto criança, Aline sonhava um dia poder viver de fotos. Sempre gostou dessa arte e ficava fascinada com as revistas e conteúdos que mostravam trabalhos de fotógrafos extraordinários.

Dessa paixão começou sua busca no mundo da fotografia, porém não foi fácil como ela imaginava que seria naqueles tempos.

Não conseguia dinheiro nem pra comprar os equipamentos básicos que a profissão exigia, muito menos pra investir nos cursos caros que o mercado oferecia.

Acreditou que pra viver de fotos era preciso muito mais que ela tinha.

A decepção que levou a desistência

Todo mundo dizia e ainda dizem que pra viver de fotos é preciso de muito, às vezes até anos de investimento, e Aline confiando nessas crenças negativas acabou até desistindo do seu sonho.

Foi trabalhar numa escola dando aula pra crianças, que também sempre foi sua paixão. Estava entusiasmada com um novo começo, acordou cedo no seu primeiro dia de trabalho e foi feliz esperando fazer algo que preenchesse sua alma, assim como a fotografia.

Mas não foi nada como ela imaginou.

Naquele primeiro dia de trabalho encontrou um mundo que até então desconhecida. Crianças com fome. Muitas descalças. Maltratadas. Elas moravam numa invasão perto da escola onde a miséria e a violência reinavam.

Sem poder fazer nada e muitas vezes até gastando todo o salário pra tentar conseguir o básico pras crianças, a futura fotógrafa decidiu desistir do trabalho de professora também.

A despedida que revelou uma mina de ouro

Após amigavelmente informar as crianças que dentre alguns dias não voltaria mais na escola, uma das alunas trouxe de casa um presente que acabou se tornando inspiração não só pra Aline, mas também pra milhares de alunos no Brasil inteiro.

Esse presente era uma foto e foi dele que Aline tirou todas as ideias que compartilha com seus seguidores hoje. Ela decidiu naquele dia organizar uma despedida com os alunos da turma, onde ela faria uma sessão de fotos pra que todos guardassem como lembrança daqueles bons momentos que tiveram juntos.

Como não tinha dinheiro suficiente pra revelar todas as fotos, mandou um bilhete aos pais informando que as fotos seriam feitas e solicitando ajuda daqueles que pudessem pra que todas as fotos fossem impressas com a melhor qualidade.

Não especificou no bilhete a quantia a ser enviada pelos pais, devendo cada um ajudar com a quantia que pudesse. E assim foi feito, os pais na data das fotos enviaram a contribuição.

Aline fez muitas e muitas fotos naquele dia, e ao recolher o dinheiro enviado pelos pais percebeu algo inacreditável. O dinheiro não só cobria todos os custos de impressão, como também o que sobrou foi o equivalente a vários meses do seu salário de professora.

Foi nesse dia que ela descobriu que viver de fotos é possível, e fez disso não só a sua profissão, mas também a sua missão de vida.